Alesp e Congresso terão iluminação especial pelo Dia de Conscientização sobre a Doença Falciforme


Neste domingo, dia 19, a Alesp e o Congresso serão iluminados de vermelho pelo Dia de Conscientização sobre a Doença Falciforme.


A data foi criada pela Organização das Nações Unidas (ONU), em 2008, como forma de chamar a atenção para a doença, que é genética, hereditária e caracterizada por alterações no sangue e é considerada uma doença negligenciada.


Os glóbulos vermelhos se tornam rígidos, assumem formato de foice, dificultando a passagem de oxigênio para o cérebro, pulmões, rins e outros órgãos. A enfermidade não tem cura e pode provocar o comprometimento das principais funções do organismo, caso o portador não receba a assistência adequada. A condição é mais comum em indivíduos negros e, muitas vezes, não demonstra sinais aparentes.


Entre as complicações da doença não tratada estão a anemia crônica, crises dolorosas associadas ou não a infecções, retardo do crescimento, infecções e infartos pulmonares, acidente vascular cerebral, inflamações e úlceras.


De acordo com informações do Ministério da Saúde, o Brasil tem entre 50 e 100 mil pessoas afetadas pela doença e que têm a qualidade de vida reduzida. Os portadores da doença falciforme tendem a viver em média até os 32 anos, 40 anos a menos das pessoas que não sofrem da doença.


A APROFe junto com a Colabore com o Futuro com o apoio da Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular (ABHH) desenvolveram a campanha #EuSinto, criada com o objetivo de espalhar o conhecimento e alertar a população sobre os perigos da Doença Falciforme.


"Queremos chamar a atenção da sociedade para a causa e tornar a saúde dos pacientes com doença falciforme uma prioridade do governo para melhorar, controlar e implementar e políticas públicas, sistemas de cobertura e disponibilização de cuidados e tratamentos", disse Sheila Ventura, coordenadora da APROFe.


A iluminação na Alesp foi um pedido da deputada Leci Brandão (PCdoB) junto com a Associação Pró-Falcêmicos (APROFe), como forma de impulsionar a campanha de alerta sobre a questão.

Já a iluminação do Congresso foi um pedido do deputado Ossesio Silva (Republicanos) junto com a Associação Pró-Falcêmicos (APROFe), como forma de aumentar a visibilidade da campanha de alerta sobre a doença falciforme.


1 visualização0 comentário