Projeção no Congresso Nacional sobre Doenças Cardiovasculares




No dia 10 de agosto de 2021, o Congresso Nacional recebeu, pela primeira vez, uma projeção de conscientização sobre saúde. Um vídeo, produzido pelo Grupo de Advocacy em Cardiovascular (GAC), que é administrado pela Colabore com o Futuro, destacou dados sobre a alta taxa de mortalidade das doenças cardiovasculares no Brasil, que atualmente só perdem em número para as mortes causadas por Covid-19.


A ação foi realizada em alusão ao Dia Nacional do Colesterol, comemorado em 08 de agosto, e buscou mostrar que é preciso adotar medidas, por meio de Políticas Públicas, para implementar programas, sensibilizar médicos e conscientizar a população sobre os perigos das doenças cardiovasculares e seus fatores de risco.


Essas conquistas somente serão alcançadas por meio de melhorias nas políticas de Atenção Primária à Saúde e do engajamento da sociedade civil.


Um dos objetivos do GAC é fortalecer a sua atuação para diminuir o número de mortes por doenças cardiovasculares em 50% nos próximos 10 anos. “Para isso, ações como essa são essenciais, pois precisamos promover a educação em saúde para que todos conheçam os fatores de riscos das doenças cardiovasculares e, caso recebam diagnóstico, possam controlar a doença”, afirma Carolina Cohen, cofundadora da Colabore com o Futuro, que administra o GAC.


Dr. Jose Rocha Faria Neto, médico e professor titular de cardiologia da PUC-PR, reforça que “A maioria das doenças cardiovasculares pode ser prevenida por meio de hábitos saudáveis, como dieta balanceada e atividade física. Quando falamos de colesterol, é importante reforçar que quando elevado, aumenta o risco de depósitos de placas ateroscleróticas na parede das artérias, provocando sua obstrução. O colesterol, juntamente com a diabetes e hipertensão, é um dos principais fatores de risco para doenças cardiovasculares, principalmente infarto, AVC e tromboses arteriais”.


A Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta as doenças cardiovasculares como a principal causa de morte no mundo. Das 17 milhões de mortes prematuras (pessoas com menos de 70 anos) por doenças crônicas não transmissíveis, 82% acontecem em países de baixa e média renda, e 37% são causadas por doenças cardiovasculares. No Brasil, a cada 40 segundos, uma pessoa morre por problemas cardiovasculares.

5 visualizações0 comentário