Vivendo sem inverter valores



Todos nós almejamos uma vida de sucesso. Achamos que se tivermos muito dinheiro, beleza, reconhecimento e poder seremos completamente felizes.

Por isso, trabalhamos cada vez mais e em um ritmo mais acelerado, cada vez menos nos permitimos errar e buscamos sempre ser amados por todos.

E no final do dia, é claro, estamos exaustos!

E quanto mais vamos atingindo esse tão esperado “sucesso”, mais vamos percebendo que há algo faltando.

Isso porque, na verdade, por mais lindos, ricos, poderosos e bem sucedidos que formos, não é isso que trará para nossas vidas um real sentimento de paz e felicidade.

A felicidade é relativa e para cada pessoa significa uma coisa, mas aprendi ao longo dos anos algumas “receitas” simples, porém nada fáceis de serem seguidas, que se cada ser humano exercitar em seu dia-a-dia, sem dúvida estará mais perto de alcançar a tão almejada felicidade.

E o meu primeiro conselho é não almeje a felicidade. Seja feliz hoje, saiba reconhecer e ser grato pelas pequenas coisas que recebe diariamente e viva o momento presente.

Aceite as pessoas como elas são, e, principalmente, se aceite como você é, com as suas qualidades e defeitos. Todos nós temos pontos que precisamos desenvolver, e isso nos torna humanos. Mas, isso não significa que você deve se acomodar e ficar em sua zona de conforto. Busque sempre crescer e se desenvolver emocionalmente e intelectualmente.

Assuma sua autorresponsabilidade. Pare de colocar a culpa no outro ou de tentar mudar o outro e se concentre em mudar a si mesmo - buscando sempre aprovação interna, e não aprovação de fora.

E por ultimo, se doe. Para os outros, para o mundo, sem buscar algo em troca. Se doar simplesmente pelo bem de se doar.

A minha trajetória profissional se iniciou em uma importante empresa de cervejas, passando por empresa de cigarro e por política. Salários ótimos e grandes chances de ter uma carreira muito promissora. Mas, apesar do sucesso e do dinheiro, eu não estava feliz e sentia que algo estava faltando.

Percebi que grande parte desse vazio estava em minha vida profissional, e então resolvi me doar mais para o outro e fazer algo que para mim tivesse mais sentido e propósito. Foi aí que fui para o terceiro setor, ajudar a curar todo o câncer que eu “criei” com os trabalhos anteriores.

Trabalhar em ONG, apoiando pacientes com câncer, pode parecer pesado e difícil. Pelo menos era o que eu sempre ouvia de amigos e conhecidos quando contava sobre meu trabalho.

Tinham momentos bem difíceis, sem duvida. Os desafios de ter uma doença grave no Brasil, especialmente com o caos politico que vivemos já faz alguns anos , eram imensos. Sempre que um novo paciente recebia o diagnóstico, ele perguntava: “porque isso aconteceu comigo? O que eu fiz de errado para receber esse diagnóstico?”.

Todos nós, de alguma forma, passamos e passaremos por desafios nessa vida, e eles sempre serão do tamanho que podemos carregar. Nenhum é pior ou mais difícil que o outro, mas é do tamanho certo para evoluirmos.

Junto com os pacientes de câncer, aprendi a dar valor às pequenas coisas que muitas vezes não percebemos em nosso dia-a-dia frenético. Aprendi que levar a vida com leveza e pensamento positivo deixa tudo muito mais fácil, independente do problema que você esteja carregando. E, mais importante, aprendi que todos nós temos problemas e passamos por dificuldades. O que fará toda a diferença será como encaramos e lidamos com essas dificuldades.

Trabalhar no terceiro setor e ter contato com outras ONGs de saúde do mundo todo foi uma experiência muito enriquecedora. Aprendi tanto, que há 3 meses decidi abrir uma consultoria de melhores práticas para o terceiro setor de saúde junto com uma amiga, que hoje é minha sócia.

Tenho muitos planos e sonhos para a minha vida e almejo alcançá-los. Mas, isso não me impede de ser feliz hoje. Muito pelo contrário- me dá ainda mais força e sentido para continuar buscando os meus propósitos. Sempre valorizando o que tenho hoje e sendo grata por estar viva e ter tantas oportunidades de me desenvolver pessoalmente, e, agora, com a minha consultoria - Colabore com o Futuro - poder ajudar tantas outras pessoas.


Carolina Soihet Cohen

Cofundadora da empresa Colabore com o Futuro

www.colaborecomofuturo.com

Algumas perguntas para você refletir...

1. Você sabe o que é felicidade pra você?

2. Qual o seu propósito de vida?

3. Você vive o hoje, ou está sempre focado(a) no amanhã?

#felicidade #autoconhecimento #ong #terceirosetor #pathwork

0 visualização

atendimento@colaborecomofuturo.com / 11 98126-7666 / 11 98144-5372

 

Rua Pombal, 463 - Sumaré

São Paulo, SP

  • Facebook
  • Instagram
  • LinkedIn - círculo cinza
  • Spotify - círculo cinza